Site de música   
Coberturas de shows

Cycles of Pain: Angra em São Paulo

Compartilhe:


Publicada em 04, Nov, 2023 por Marcia Janini


Angra_2023.jpg
Na noite da última sexta-feira, 03 de novembro, ainda sob o reflexo do feriado nacional prolongado, a banda Angra realizou show em única apresentação de sua turnê Cycles of Pain no Tokio Marine Hall em São Paulo.

Inicia a apresentação por volta das 22h30 ao som de "Nothing to Say", uma canção de andamento ágil, bem apoiada pela frenética condução da bateria de Bruno Valverde em conversões precisas. O vocal de Fábio Lione explora vocalizes intensos e modulações diferenciadas, fazendo da abertura um momento caloroso, festivo, cheio de energia para seus fãs.

Para "Final Light", a melodia traz o paradoxo entre a bateria pesada, contundente e as guitarras em rascantes e estrofes suavizadas, onde o inspirado vocal passeia por modulações simples, porém de grande efeito estético. Bom momento do show!

Delicadas na introdução, "Tide of Changes-Part I e II", trazem no instrumental firme da ponte entre estrofes e refrão o mote do heavy metal clássico, onde o suave diálogo entre guitarra rítmica e melódica mantém o andamento ralentado, bem determinado pelo baixo dub em contraponto. Mais um momento especial do vocal de Fabio Lione, explorando tessituras altas, para seu timbre suave e aveludado. Ritardandos e diminuendos na finalização apontam delicioso diferencial, pautado no rock progressivo. Virtuoso!

Relembrando um grande sucesso da carreira, a clássica "Angels Cry", melodia consistente com reforço de bass, surge com a guitarra de Marcelo Barbosa em intrincados cromatismos e dedilhados ágeis, na junção com a bateria cadenciada de Valverde, que ascende em variações dinâmicas intensas, em mais um momento especial do show.

Em uma composição inusitada, trazendo um toque de brasilidade que flerta diretamente com a sonoridade MPB do baião brasileiro na suavizada percussão, surge "Vida Seca", canção que realiza elegante crítica social aos flagelos da seca, em linguagem velada.

"Ego Painted Grey", mais um grande hit, traz a linearidade da linha melódica explorada pelo baixo de Felipe Andreoli em doom no contraponto, aliada à bateria cadenciada, repleta de breaks estratégicos que apoiam o poderoso refrão. Nota para a guitarra de Rafael Bittencourt em rascantes e glissandos intensos que auxilia na manutenção do andamento, em interessante diálogo com a guitarra de Marcelo Barbosa em criativos acordes. Amazing!

Dinâmica e repleta de cromatismos já na introdução "Waiting Silence" traz mais uma interpretação cheia de personalidade e cirúrgica precisão vocal de Fabio Lione, aliada ao impactante instrumental, onde bateria e baixo determinam o andamento ralentado na deliciosa cadência heavy. Grande momento da apresentação.

Na execução da linda balada "Rebirth", após a belíssima introdução onde Rafael Bittencourt trouxe lindos dedilhados no violão de aço, Lione divide os vocais com Vanessa Moreno, em um inspirado dueto, para mais uma grata surpresa aos fãs.

Ainda com a convidada especial, "Here in the Now" traz delicada aura de sensualidade e mistério, onde no instrumental esparsos elementos latinos surgem, denotando aberto flerte com o pop rock. Mais um momento inusitado e diferenciado da apresentação, em uma composição agradável.

"Morning Star" traz a deliciosa aura de jam session para o palco, onde o firme instrumental aponta um pouquinho do talento desses incríveis músicos logo na introdução, ascendendo para uma deliciosa canção, onde elementos de sonoridades pop/ urban surgem em esparsas pinceladas, suavizando os momentos de maior intensidade. Glissandos e cromatismos das guitarras fundem-se ao marcante cadenciado da bateria na finalização. Great!

Surgindo como uma avalanche sonora, o petardo "Ride Into the Storm" traz mais um momento de peso e dinâmica intensa, em mais uma impecável performance individual da bateria de Bruno Valverde... Brilhante, o vocal de Fábio Lione trouxe modulações e vocalizes de energia ímpar, além de passear entre rasgados agudos e profundos guturais, em uma performance visceral, muito bem pontuados pelas ensandecidas guitarras de Bittencourt e Barbosa. Perfeito!

Além desses sucessos, canções como "Cycles of Pain", que intitula a turnê e o novo trabalho da banda, "Silence and Distance", "ØMNI-Silence Inside", "Carry On" e "Nova Era", encerrando a noite, constaram do setlist desta noite de celebração.


[ << Ant ]    [ << Mais notícias ]    [ Próx >> ]
 

Mais notícias
C6 Fest: Dia 2
C6 Fest: Dia 1
Faith in the Future: Louis Tomlinson
The Mandrake Project: Bruce Dickinson em São Paulo
Power To Play: McFly em São Paulo
Summer Breeze Festival - Dia 3
Summer Breeze Festival - Dia 2
Summer Breeze Festival - Dia 1
Ages and Stages: Tom Jones Celebra 60 Anos de Carreira em São Paulo
Noite de clássicos atemporais celebra os 40 anos da carreira de Ritchie em São Paulo

 
 
 
 
 
 Busca
 Siga o Musicão nas redes sociais
Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram Siga-nos no Tumblr Google Plus Youtube Pinterest
 Últimas Notícias
 Agenda de shows
Criação de Sites
Serviço
Arquivo de notícias
Equipe do Musicão
Release do site
Política de Privacidade
Contato

© 2006-2024 Musicão - Todos os direitos reservados - Proibida cópia de conteúdo parcial ou integral.