Site de música   
Coberturas de shows

Metal Melódico Português Revisita a Sonoridade do Baixo Medievo: Moonspell em São Paulo

Compartilhe:


Publicada em 02, May, 2018 por Marcia Janini


Moonspell-2018.jpg
Na noite de quinta-feira 26 de abril, uma das maiores bandas dedicadas ao metal melódico da atualidade, a portuguesa Moonspell apresentou-se no Carioca Club em São Paulo.

Iniciando a apresentação com a grandiosidade da influência do baixo medievo em arranjos densos, de grande complexidade técnica, a execução de "Em Nome do Medo" ambienta com grande propriedade a temática do espetáculo.

Apresentando estrutura medieval de rondó, "In Tremor Dei" ascende em vertiginosas variações dinâmicas, numa grande canção. Em linda performance, o personagem inspirado no "Capitano" da comédia d´ell arte surge, encantado o público com seu charme sedutor nos gestos e no aveludado tom vocal.

Para "Night Eternal" as frenéticas palhetadas da guitarra de Ricardo Amorim aliam-se à contundente condução da bateria, em belíssima tonalidade da percussão que remonta aos tambores celtas. Baixo de Aires Pereira em contraponto e o vocal extremamente bem empostado de Fernando Ribeiro determinam ainda maior vitalidade à canção.

Em andamento dark wave extremamente bem executado "Awake!" surge na firme condução da bateria cadenciada de Mike Gaspar aliando-se ao exímio e preciso teclado de tétricos arranjos, em uma das mais criativas canções do show.

Conferindo carga de dramaticidade extra, o performático vocalista adquire arrebatada e envolvente tonalidade na boa execução de "Extinct". Explorando interessantes atonalismos no refrão, emoldurado pelos densos acordes do teclado de Pedro Paixão em notas suspensas e esparsos elementos da sonoridade mediterrânea nos melodiosos dedilhados da guitarra, a canção transcende melodicamente em sua finalização. Great!

Explosiva a dinâmica introdução para a acida "Evento" na cadência frenética do classic metal, em furiosas evoluções da bateria aliadas ao vocal gutural traduzem um momento de grande peso à apresentação. Trazendo forte influência do progressive rock em intensas variações dinâmicas a canção surge em cascatas de grande criatividade nos arranjos.

Em mais uma arrebatadora performance, trazendo como adereço de cena o símbolo religioso máximo dos cristãos católicos (um crucifixo de onde saíam feixes em laser vermelho), o inusitado momento de "Todos os Santos" traduz grande ousadia na provocação estética abordada. Nota para o enorme potencial vocal demonstrado nessa canção pelo intérprete em complexas modulações, variando tonalidades entre guturais, cantochões e sussuros com espantosa destreza, demonstrando um pouco de sua precisão e talento! Amazing!

Mais uma boa canção apresentada, a vigorosa "Vampiria" surge na cadência marcada do heavy metal em viscerais arranjos instrumentais, seguidos por mais um grande momento da performance vocal de Fernando Ribeiro, desta vez travestido em vampiro numa alusão a "Nosferatu".

Homenageando o Brasil e seus fãs, a forte e dinâmica releitura para "Lanterna dos Afogados" (Paralamas do Sucesso) ganha novos arranjos e o vocal gutural de mais um personagem representado pelo talentoso front man: o barqueiro condutor das almas em alusão à lenda medieval.

Iniciando o momento do bis surge o desalento expresso na letra de "Everything Invaded", com ralentada cadência ganhando força na explosão do refrão em mais uma canção de sonoridades criativas na fusão com as influências do medievo resgatadas com grande propriedade pelo instrumental e ousadia da banda, em uma apresentação de grande beleza estética!

Na execução da cadenciada "Scorpion Flower" com o belíssimo coral e a alternância entre vocal feminino (em samplers) e o potente e cristalino vocal de Fernando Ribeiro em inspirado dueto, aliado ao poderoso instrumental de condução perfeita na cadência do metal melódico, surge mais um importante momento do show.

Traduzindo as deliciosas e divertidas cantigas aldeãs da Portugal medieval em cíclicos movimentos de rondó, traduzindo-se em cromatismos bem explorados pelo teclado que se alia à vitalidade do frenético heavy, "Ataegina" e "Full Moon Madness" encerram as apresentações da noite.


[ << Ant ]    [ << Mais notícias ]    [ Próx >> ]
 

Mais notícias
Mawaca no Audibira
Batushka no Fabrique Club
Therion, Cellar Darling e The Devil em São Paulo
No More Tours 2: Ozzy Osbourne em São Paulo
The Kooks no Espaço das Américas
World Be Gone: Erasure e o Retorno do Synthpop 80´s em São Paulo
Canta Lulu: Lulu Santos em São Paulo
Luis Fonsi estreia no Brasil com produção impecável
O Progressive Rock de Pain of Salvation em São Paulo
Turn Up the Quiet: Diana Krall em São Paulo

 
 
 
 
 
 Busca
 Siga o Musicão nas redes sociais
Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram Siga-nos no Tumblr Google Plus Youtube Pinterest
 Últimas Notícias
 Agenda de shows
Criação de Sites
Serviço
Arquivo de notícias
Equipe do Musicão
Release do site
Política de Privacidade
Contato

© 2006-2018 Musicão - Todos os direitos reservados - Proibida cópia de conteúdo parcial ou integral.