Site de música   
Entrevistas

Entrevista com Rosa de Saron

Compartilhe:


Publicada em 16, Oct, 2014 por Fabiano Cruz


rosa-de-saron-2014.jpg
Os poucos mais de 25 anos de estrada tornaram o Rosa de Saron uma das mais cultuadas bandas de Rock do Brasil, mesmo tendo duas dificuldades como banda e sendo cristã, algo que muitos nem escutam o som por puro e acéfalo preconceito. Não seria por menos: a banda trabalha pensando nos fãs, a base e força de seus trabalhos, e em uma filosofia que prega a humildade acima de tudo, sempre se mantendo na ativa. E a Rosa de Saron está no momento em pleno vapor com o lançamento de Cartas ao Remetente, o mais novo trabalho de estúdio, e um dos mais fortes da banda. Minutos antes de subirem ao palco do Carioca Clube para o show de lançamento do trabalho, a Rosa de Saron conversou rapidamente com o Musicão, falando sobre Cartas ao Remetente e o atual momento que passam

Musicão: A banda está lançando recentemente ”Cartas ao Remetente”; em linhas gerais, o que podem falar desse novo trabalho?
Rogério Feltrin: O CD é uma continuidade do trabalho do Rosa, um CD característico nosso, de personalidade única, mais sentimental
Eduardo Faro: A banda passou no último ano por altos e baixos, críticas, sentimentos bem fortes, e as canções ficaram dessa forma; é uma identificação da banda com o momento que passa

Musicão: O disco vai de uma sonoridade mais pesada e densa para uma mais calma em voz e violão até mesmo com uma naturalidade ímpar, uma identidade da banda. Qual a forma de trabalho de vocês quando compõe um disco novo?
Guilherme de Sá: Um trabalho puxou o outro, o disco ficou meio “hit maker” da banda, o melhor trabalho. Focamos nas canções, sempre trabalhamos com sonoridades, temos discos com sons mais britânicos, outros mais americanos, mas nesse trabalhamos com a beleza melódica, um trabalho único. Depois de dois discos diferentes, fomos para uma vertente mais emocional

Musicão: No site oficial diz que Cartas ao Remetente é “liricamente muito intenso”. O que diferencia as letras desse trabalho dos demais?
Guilherme de Sá: Somos humanos, de sensibilidade popular... Embora todos os nossos discos sejam assim, 2013 foi intenso, coisas boas e ruins, bem melancólico, e isso foi importante nas letras. Temos que nos preocupar muito com elas, as pessoas são bem influenciadas pelas letras, e muitas delas nesse disco são pessoais, tivemos um trabalho crível de nossa parte para as escolhas.

Musicão: O Rosa de Saron tem mais de 25 anos, um trabalho constante e uma legião de fãs, porém ainda aparecem pouco no “mainstreen”. Porque ocorre isso na visão de vocês?
Guilherme de Sá: O espaço do Rock morreu pelo próprio estilo, sofremos com o espaço dentro da Igreja e fora dela também, e sem esse espaço, temos que municiar o público para manter ele: sempre subindo um grau na produção, melhorando cada vez mais. Estamos a 10 anos sem parar, shows e produções, e nosso trabalho vai muito no boca a boca
Eduardo Faro: Temos uma linguagem diferenciada no segmento, não somente louvores, nós usamos um vocabulário diferente; por causa disso, temos fãs que vem pelo som. E a Som Livre (N.E.: atual gravadora da Rosa de Saron) nos deixa livre para trabalhar, pois nosso meio de trabalho e forte, com festivais e uma legião de fãs fiéis. Fomos inseridos nas gravadoras sem perder nosso foco.

Musicão: Além da agenda cheia e divulgação do novo trabalho, quais os panos da banda nesse fim de 2014 e em 2015?
Rogério Feltrin: Vamos gravar mais dois clipes, até o fim do ano vamos decidir quais são as músicas. E nosso foco é a estrada, shows e mais shows. Há! E em 2015 uma surpresa, um trabalho diferente pros fãs, que ainda não podemos dizer o que vai ser!

Musicão: Finalizando.. Qual a origem do nome Rosa de Saron?
Rogério Feltrin: É o nome de uma flor que aparece no Cântico dos Cânticos, uma flor do deserto, representando uma diversidade da vida, uma bondade divina, e seu significado achamos que tem muito a ver com o nosso trabalho!


[ << Ant ]    [ << Mais notícias ]    [ Próx >> ]
 

Mais notícias
Dire Straits Legacy Realiza Coletiva em SP
Coletiva Manu Gavassi
Entrevista com Dropkick Murphys
Entrevista com a banda Gemini (Bee Gees Tribute)
Entrevista com o Air Supply
Coletiva de Imprensa com Jamie Cullum em São Paulo
Coletiva de Imprensa Richie Sambora e Orianthi
David Gilmour Concede Entrevista Coletiva
Entrevista com Rosa de Saron
Entrevista com SupreMa

 
 
 
 
 
 Busca
 Siga o Musicão nas redes sociais
Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram Siga-nos no Tumblr Google Plus Youtube Pinterest
 Últimas Notícias
 Agenda de shows
Criação de Sites
Serviço
Arquivo de notícias
Equipe do Musicão
Release do site
Política de Privacidade
Contato

© 2006-2017 Musicão - Todos os direitos reservados - Proibida cópia de conteúdo parcial ou integral.