Site de música   
Coberturas de shows

Orquestra Petrobras Sinfônica Toca Black Álbum do Metallica em São Paulo

Compartilhe:


Publicada em 02, Jul, 2019 por Marcia Janini

Clique aqui e veja as fotos deste show.


Petrobras_Sinfonica_2019.jpg
No último domingo, 30 de junho, a Orquestra Petrobras Sinfônica sob a regência de Felipe Prazeres executa na íntegra a versão erudita com arranjos de Ricardo Cândido para o álbum "Black" (1991) da banda de heavy metal Metallica.

No inovador e ousado projeto "Álbuns", a Sinfônica busca a formação de público e a popularização da música erudita no país, traduzindo-se na iniciativa de execução de grandes discos populares, em variados estilos musicais, rearranjados para a sonoridade instrumental de orquestra.

Com início por volta das 19h45, após a execução da icônica canção de abertura de grande parte dos shows do Metallica "Ecstasy of Gold", trazendo toda a sua grandiosidade dramática em aura densa, surge o hit "Enter Sandman", com o predomínio dos potentes metais nas conversões e a participação da trompa permeando esparsamente a melodia.

Os cellos surgem vibrantes e encorpados na introdução de "Sad But True", evoluindo no preciso diálogo com o som aveludado das madeiras, conduzidas com maestria pelas flautas que delineiam com propriedade a estrutura melódica. Para a conversão aos refrões, mais uma vez os metais entram trazendo maior dinamismo na porção rítmica. Great!

Para a introdução em crescendo de "Holier Than Thou", o clarinete em cromatismos vigorosos apoia-se no andamento frenético desenvolvido pelo naipe da percussão, aliado ao incrível trabalho da viola de Carlos Mendes (surgindo como guitarra rítmica). Na porção média da melodia, angariando entusiasmados aplausos da platéia, o 1º violino do spalla Ricardo Amado brilha com intensidade, traduzindo em allegro vivace a sonoridade da guitarra melódica. Amazing!

Densa "The Unforgiven" surge como um dos mais felizes momentos da apresentação. Seu andamento suave em adágio revela o intenso trabalho dos músicos e do arranjador Ricardo Cândido na busca da perfeição estética. Afretando nas conversões os violoncelos aliam-se à potência da bateria e dos metais, em um dos mais dinâmicos momentos do espetáculo.

As madeiras para "Wherever I May Roam" em doces acordes na introdução denotam a influência oriental, permeada pelas cordas em pizzicato, ascendendo em intensas variações dinâmicas aliadas à brilhante condução da bateria. Em glissandos intensos, os violinos frenéticos comandados por Amado reinam soberanos na ponte entre estrofe e refrão, explorando a sonoridade dos solos distorcidos de guitarra com maestria. Visceral!

"Don´t Tread on Me" surge com a densa introdução em cadenciado determinada pelos tímpanos, evoluindo para a cadência do andante com preciosos arranjos dos contrabaixos acústicos, que se fundem à bateria, em contraponto ao belíssimo diálogo entre cordas e madeiras. Amazing!

Após breve intervalo de cerca de 20 minutos, tem início a segunda parte do concerto, com a execução da dinâmica "Through the Never", traduzindo em potentes glissandos das cordas nas conversões a sonoridade das guitarras distorcidas em afinação alta... Com grande graça e propriedade a tuba surge auxiliando na ambientação dos staccatos do refrão, trazendo enorme diferencial à melodia.

Para a urgente balada "Nothing Else Matters" suave introdução com a presença de címbalos em doces notas. As cordas surgem suaves e precisas, em lindo diálogo com as madeiras, traduzindo à melodia aura de lirismo. Traduzindo maior vigor dinâmico em esparsos movimentos a trompa irrompe nas conversões, em resposta aos arpejos de rara beleza dos violinos em um dos mais belos momentos da apresentação.

"Of Wolf and Man" traduz em seu dinamismo crescente a precisão cirúrgica do instrumental nas profundas e intensas variações dinâmicas. Permeados pela firme condução da bateria cadenciada em andante liggero, os demais instrumentos estabelecem vigoroso diálogo. No contraponto, a tuba e o contrabaixo auxiliam na manutenção do andamento constante.

Para "The God That Failed" mais um precioso momento, determinado pelos arranjos dos metais, que traduzem à melodia aura festiva, contrastando com a solenidade das cordas e madeiras, em uma interessante correspondência. Ousada a trompa surge determinando a cadência, permitindo à bateria liberdade para explorar inovadora linha melódica na condução, traduzindo-se em solos nada óbvios. Pizzicatos das cordas na finalização traduzem ainda mais jovialidade à melodia. Bravíssimo!!!

A delicada "My Friend of Misery" ganha velada aura de mistério com a linha melódica adotada pelas madeiras na introdução.

Finalizando a histórica apresentação, "The Struggle Within" última faixa do álbum, é executada com grande apuro e rigor estético, em mais um grande momento da noite!


[ << Ant ]    [ << Mais notícias ]    [ Próx >> ]
 

Mais notícias
Orquestra Petrobras Sinfônica Toca Black Álbum do Metallica em São Paulo
Rodrigo Teaser - Tributo à Michael Jackson
Nós do Rock Rural + Encontro Marcado em São Paulo
Ok, Ok, Ok: Gilberto Gil em São Paulo
Atitude 67 e Vitor Kley
The Neighbourhood em São Paulo
Leather + Raven na The House
Capital Inicial: Turnê Sonora em São Paulo
'O Que Importa É a Gente Ser Feliz': Fábio Jr. em São Paulo
Turnê 'Novas do Roupa', Roupa Nova no Espaço das Américas

 
 
 
 
 
 Busca
 Siga o Musicão nas redes sociais
Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram Siga-nos no Tumblr Google Plus Youtube Pinterest
 Últimas Notícias
 Agenda de shows
Criação de Sites
Serviço
Arquivo de notícias
Equipe do Musicão
Release do site
Política de Privacidade
Contato

© 2006-2019 Musicão - Todos os direitos reservados - Proibida cópia de conteúdo parcial ou integral.