Site de música   
Coberturas de shows

Free Pass Metal Festival 2019

Compartilhe:


Publicada em 04, Jun, 2019 por Marcia Janini

Clique aqui e veja as fotos deste show.


Avantasia_2019.jpg
Na noite do domingo 2 de junho, o Espaço das Américas em São Paulo abrigou a edição 2019 do Free Pass Metal Festival, trazendo como atrações principais as bandas Shaman e Avantasia, tendo como abertura a banda Rec/ All.

Subindo ao palco por volta das 18h45, em mais um show da tour Shaman Reunion, André Matos surge à frente da banda, encantando a todos ao som da enérgica "Turn Away", em vocalizes precisos.

Densa na introdução, em suave progressão ascendente, "Reason" traz mais um bom momento dos vocais de André Matos, aliado à precisão da guitarra melódica de Hugo Mariutti, em dedilhados de extrema complexidade e beleza estética.

Trazendo o acento andino, André Matos surge demonstrando um pouco de sua grande versatilidade como frontman na condução da flauta pã para a introdução da belíssima "For Tomorrow". Ascendendo em meio aos riffs rascantes da guitarra de Mariutti, a canção evolui em intensas variações dinâmicas, em uma perfeita mini-suíte, remontando ao virtuosismo do progressive metal. Amazing!

"Distant Thunder", potente em seu andamento ágil, traduz na linha melódica a força e ousadia do heavy de linhas clássicas. Breaks estratégicos apoiam a força do refrão, poderoso, de aura diáfana, em meio aos acordes em notas suspensas. Firme, a bateria cadenciada de Ricardo Confessori alia-se aos acordes elegantemente dissonantes da guitarra em distorção na porção média da melodia, emoldurando com precisão e beleza a perícia vocal de André Matos, em um dos melhores momentos da apresentação!

"Innocence" elegantemente permeada pelos acordes delicados e fluidos do piano conduzido com brilhantismo por André Matos, traduz uma linda balada na cadência do metal melódico, traduzindo momento de suavidade e beleza ímpar na apresentação.

Delicada em doces notas do piano na introdução "Time Will Come" evolui em intensa avalanche sonora, promovida pela cadenciada bateria de Confessori, que explora tessituras e conversões nada óbvias em um verdadeiro show de dinamismo. Great!

Após a execução das clássicas "Iron Soul" e "Fairy Tale", a apresentação caminha para um belo desfecho final com a execução da dançante "Ritual", canção que apresenta em sua melodia esparsos sintetizadores bem modulados por Fábio Ribeiro, que determinam aura electro à melodia, num delicioso flerte com a modernidade.

Encerrando com grande energia, surge a frenética "Pride", traduzindo em seu bojo elementos do punk rock bem determinados pela bateria em andamento alucinante aliada ao baixo em dub de Luís Mariutti, em raro instante de prazer e descontração ao espetáculo.

Subindo ao palco por volta das 20h30, ao som da 9a Sinfonia de Beethoven, o Avantasia inicia sua apresentação com a execução da dinâmica "Ghost in the Moon".

Para "Starlight", pautada no heavy metal de linhas clássicas, grande momento com a participação de Ronnie Atkins (Pretty Maids) dividindo os vocais com o frontman Tobias Sammet (Edguy).

Na sequência, Atkins continua a dividir os vocais com Sammet e a perfeita backing vocal Adrienne Cowan (Seven Spires) para a execução de "Book of Shallows", permeada pelos riffs rascantes das guitarras de Jens Ludwig (Edguy) e Timo Tolkki (ex- Stratovarius) aliada à firme condução da bateria cadenciada. Agilidade e simplicidade ditam a tônica desta composição, que esbanja potência no fraseado vocal, repleto de inspirados vocalizes. Great!

"The Raven Child" traz Jørn Lande (Masterplan) na divisão dos vocais, em magistral interpretação. A melodia, com acentos inspirados no progressive rock, evolui em intensas variações dinâmicas. Suaves as guitarras melódica e rítmica de Ludwig e Tolkki realizam o perfeito diálogo com a fúria apresentada pela bateria de Eric Singer (Alice Cooper/ Black Sabbath/ Kiss/ Badlands) em potente cadenciado, afretando para os vocais que exploram tessituras agudas e altas, de extrema complexidade técnica. Grande momento da apresentação!

Ainda com a especialíssima participação de Jørn "Lúcifer", com sua belíssima e dramática introdução, trazendo os arranjos firmes do piano de Jens Johansson (Stratovarius/ Dio/ Yngwie Malmsteen) em uma romântica ambientação, ascende para o caos e ousadia das guitarras distorcidas em alucinantes acordes na correspondência com a precisão contundente da bateria de Alex Holzwarth (Rhapsody of Fire) em andamento frenético. Amazing!

Mais um especial convidado Geoff Tate (ex- Queensryche) empresta seu vocal para as execuções de "Alchemy" e "Invincible".
Para "Alchemy", logo na introdução surge um dos maiores instantes de sinergia da banda com seu público, respondendo prontamemte à tétrica aura proposta pelo instrumental. Evoluindo para a vigorosa cadência heavy de linhas clássicas, mais uma vez os vocais brilham soberanos, sendo acompanhados pelas precisas e técnicas guitarras, em profundos rascantes na finalização. Great!

Linda, a introdução suave para "Invincible" traduz raro momento introspectivo na apresentação, em magistrais intetpretações de Sammet e Tate. Suaves acentos da sonoridade medieval surgem nos delicados acordes do teclado de Johansson traduzindo em sua tessitura sonoridade próxima à do cravo, na simples estrutura melódica em rondó. Lindo momento do show!

Subindo ao palco, André Matos empresta maior potência e dinamismo à "Reach Out for the Light", com seus cristalinos e cortantes agudos, compondo com Sammet um dos mais impressionantes duetos. Apoiados pelos afinadíssimos backing vocals, determinam na execução desta canção um dos mais impactantes momentos da noite! Wonderful!

Em introspectivo instante da apresentação, "Moonglow" apresenta a divisão dos vocais principais com a backing vocal Adrienne Cowan, mezzo-soprano de belo timbre, extremamente técnica em modulações complexas, determinando mais um grande momento do show.

Inusitada a ousada releitura para "Maniac" (a dançante canção new wave 80's de Michael Sembello) traz Eric Martin (Mr. Big) na segunda voz... Vigorosa, a bateria cadenciada e cortante traduz maior peso dinâmico, e acentos heavy à linha melódica, mantida nesta versão... Variações aos temas das guitarras melódicas, com maior agilidade em dedilhados e distorções, traduzem roupagem metal à divertida melodia original. Bom momento do show!

Na urgente "Dying for an Angel", a letra com temática romântica ganha ares ainda mais dramáticos com a participação de Eric Martin, emoldurada pela melodia suavizada, de acentos pop, em mais um flerte com a criativa sonoridade 80's.

Grandioso "Promised Land", um dos maiores hits da noite, traduz mais um grande momento da apresentação, unindo no palco o impactante duo de vozes formado por Jørn Lande e Tobias Sammet em um momento marcante e especial do show... Digno de menção o intenso e poderoso solo da guitarra melódica de Kai Hansen na finalização da canção, demonstrando o talento e virtuosismo deste versátil músico. Great!

Constaram do setlist da apresentação canções como "Avantasia", "Master of the Pendulum", "Lost in Space", "Farewell" e o medley "Sign of the Cross/ The Seven Angels", com todos os integrantes e convidados, à execeção de André Matos.


[ << Ant ]    [ << Mais notícias ]    [ Próx >> ]
 

Mais notícias
Atitude 67 e Vitor Kley
The Neighbourhood em São Paulo
Leather + Raven na The House
Capital Inicial: Turnê Sonora em São Paulo
'O Que Importa É a Gente Ser Feliz': Fábio Jr. em São Paulo
Turnê 'Novas do Roupa', Roupa Nova no Espaço das Américas
Free Pass Metal Festival 2019
Noite de Clássicos do BRock: Villa-Lobos e Bonfá em São Paulo
Skank Turnê Os Três Primeiros - Ao Vivo
Delain + Vuur no Tropical Butantã

 
 
 
 
 
 Busca
 Siga o Musicão nas redes sociais
Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram Siga-nos no Tumblr Google Plus Youtube Pinterest
 Últimas Notícias
 Agenda de shows
Criação de Sites
Serviço
Arquivo de notícias
Equipe do Musicão
Release do site
Política de Privacidade
Contato

© 2006-2019 Musicão - Todos os direitos reservados - Proibida cópia de conteúdo parcial ou integral.