Site de música   
Coberturas de shows

Sleeping with Sirens em São Paulo

Compartilhe:


Publicada em 18, Aug, 2018 por Regiane Donadi

Clique aqui e veja as fotos deste show.


Sleeping_with_Sirens_2018.jpg
São Paulo por si só não estava nem um pouco convidativa na noite passada: muito frio e garoa. Típico, não? Então para sair de qualquer lugar e enfrentar um caminho bem caótico tinha quer ter um ótimo motivo. E qual seria?

A banda norte americana Sleeping with Sirens ? formada por Kellin Quinn (voz), Nick Martin (guitarra), Jack Fowler (guitarra), Justin Hills (baixo) e Gabe Berham (bateria) ? fez a sua única apresentação em solo brasileiro, no Tropical Butantã, para divulgar "Gossip", o seu álbum mais recente, lançado no ano passado.

Enquanto o público chegava, mas sem tempo para se acomodar, a banda começou a apresentação. E no horário marcado!

"Vocês estão prontos?!", disse Kellin.

Sem mais delongas, "We Like It Loud", explosiva e de grande presença ? acompanhada pelos tons vermelhos que se espalhavam pelo ambiente - transformou o lugar num grande caldeirão e ninguém lembrava mais do que tinha acontecido até então.

Nada de contratempos. Nem de problemas. Só a música. E era isso o que realmente importava.

Justin se empolgou tanto que até brincou com o baixo, equilibrando o instrumento no ar, enquanto dava alguns passinhos para lá e para cá.

É isso que o público sempre espera do seu artista favorito, não? Que a apresentação seja inesquecível e sem a necessidade de muitas perguntas e respostas porque tudo acontece em total harmonia.

"Go Go Go" deu sequencia e enquanto o público batia muitas palmas a banda se movimentava pelo palco freneticamente. Que energia! E cada integrante deu o seu jeitinho de interagir da melhor maneira possível com os fãs presentes.

Kellin fez questão de agradecer a todo mundo pela presença antes da poderosa dobradinha "Better Off Dead" e "Empire To Ashes".

SWS, como também é chamada, não vive só de "pauleira" e, desacelerando um pouco, Kellin começou "Hole In My Heart" sentado na beira do palco.

Antes de "One Man Army", Kellin aproveitou para enfatizar ao público como se sentia maravilhado pela música deles ir muito além das barreiras culturais e, portanto, idiomáticas e significar tanto para cada um ali, independente do motivo, e o quanto isso tudo mantinha cada um vivo.

Com toda essa atmosfera mais tranquila, "Scene Two - Roger Habbit", "2 Chord" e "The Strays" foram apresentadas em forma acústica, somente com Kellin e Nick no palco, e ficaram tão emocionantes quanto as originais.

Durante "Scene Two - Roger Habbit", Kellin pulou no espaço entre o palco e a grade da área vip e deixou o resto da casa em polvorosa!
Quem estava na grade não perdeu tempo e aproveitou a chance para tocar o vocalista da maneira que podia: ora pegando nas mãos, ora nos braços e até mesmo passando a mão pelo rosto dele.

Uma alteração na setlist aconteceu e Kellin até se desculpou (não precisava!). Provavelmente "Gossip", faixa-título do álbum e da turnê, foi substituída por "2 Chord". Foi uma das mais lindas da noite, fazendo muita gente chorar.

E se não bastasse a fragilidade em que todo mundo ficou com a música anterior, Kellin aflorou as emoções de todos mais ainda com a sua mensagem antes de "The Strays":

"Nós somos diferentes, nós somos únicos e quando nos reunimos é o que torna a música tão poderosa e importante. Se você se sente diferente, se você sente que esse é o seu lugar e que todos aqui são amigos coloque as suas mãos para cima". Assim, a pedido do vocalista, todo mundo juntou as mãos num formato de coração.

Com a banda toda no palco novamente, "Trouble" mostrou todo o alcance vocal de Kellin e "Congratulations" e "Legends" ? faixa que foi trilha sonora oficial da seleção americana durante os Jogos de Inverno desse ano ? causaram um frenesi geral, com muitos pulos e pulsos ao ar.

Pouquíssimas músicas foram tocadas até aqui, levando em consideração só a questão numérica, mas foram muito bem aproveitadas durante a apresentação, uma vez que se estenderam conforme a "vibe" de cada momento.

Muitos gritos de "one more song" e a banda retornou para o bis com "If I´m James Dean, You´re Audrey Hepburn", com o Kellin na grade da área vip novamente, "If You Can´t Hang", com as lanternas dos celulares acesas - momento que nunca pode faltar, não é mesmo? - e "Kick Me", que foi arrasadora!

Agradecendo muito, a banda jogou vários mimos para os fãs - como palhetas, toalhas e até mesmo a setlist - e encerrou a apresentação na capital paulista.

A banda ainda visitará Argentina, Peru e México nos próximos dias para finalizar a "Gossip World Tour".

Setlist:
01 We Like It Loud
02 Go Go Go
03 Better Off Dead
04 Empire To Ashes
05 Hole In My Heart
06 One Man Army
07 Scene Two ? Roger Rabbit
08 2 Chord
09 The Strays
10 Trouble
11 Congratulations
12 Legends
13 If I´m James Dean, You´re Audrey Hepburn
14 If You Can´t Hang
15 Kick Me


[ << Ant ]    [ << Mais notícias ]    [ Próx >> ]
 

Mais notícias
British Lion mostra as garras e prova ser muito mais do que um mero projeto paralelo
Summer Break Festival em São Paulo
As raízes de Max e Iggor ressurgem no caos das ruas sujas e escuras do Butantã após vendaval
Em despedida de Machine Messiah em São Paulo, a máquina Sepultura segue engrenada
Festival Nova Brasil FM 2018 traz grandes nomes da MPB em São Paulo
Canta Lulu! Lulu Santos em Noite de Clássicos
Sonora: Capital Inicial em São Paulo
Celebrating David Bowie em São Paulo
Gipsy Kings em São Paulo
Z Festival 2018 em São Paulo

 
 
 
 
 
 Busca
 Siga o Musicão nas redes sociais
Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram Siga-nos no Tumblr Google Plus Youtube Pinterest
 Últimas Notícias
 Agenda de shows
Criação de Sites
Serviço
Arquivo de notícias
Equipe do Musicão
Release do site
Política de Privacidade
Contato

© 2006-2018 Musicão - Todos os direitos reservados - Proibida cópia de conteúdo parcial ou integral.