Site de música   
Coberturas de shows

Death To All no Via Marquês

Compartilhe:


Publicada em 11, Sep, 2014 por Ya Amaral

Clique aqui e veja as fotos deste show.


Death_2014.jpg
Impossível falar sobre o show do DTA (Death To All) sem relembrar que a turnê vem sendo realizada por grandes mestres da música, consagrados como lendas. Steve DiGiorgio e Gene Hoglan, mais convidados, entraram nessa turnê em homenagem a carreira do Death de tempos em que tínhamos Chuck Schuldiner: O real nome do Death.

O evento começou com a apresentação de duas bandas paulistas, D.E.R e Test, que têm uma característica muito peculiar, o baterista das duas bandas é o mesmo, até aí normal, mas a apresentação de ambas se deu no mesmo tempo e espaço. Isso mesmo, as bandas tocaram juntas músicas diferentes somente com a linha de bateria idêntica, a explicação de toda essa ‘barulheira’ é a divulgação do Split “Otomanos” com essa proposta diferente lançada pelas bandas em conjunto. O som do D.E.R é composto por duas guitarras, um baixo e um vocal, o que deveria tornar a performance mais redonda, porém quem se destacou ali foi o Test, que contava apenas com o vocalista e guitarrista João Kombi e o baterista Barata, ambos com particularidades que se distam de tudo que vemos acontecer hoje no Brasil e muito provavelmente no mundo. Em suma, a abertura foi totalmente voltada ao baterista, como um culto em toda sua genialidade.

Apesar da excelente abertura o público ansiava pelo show do DTA, e nos poucos minutos entre uma banda e outra a emoção contaminava o lugar, gritos de alegria por todo o lado: “Death! Death!” e então o monstro surge no palco, com “Out Of Touch/The Philosopher” deu as boas vindas à casa paulista Via Marquês, às 21h. Impossível ficar parado, as pessoas se agitavam como uma corrente, e cantaram do início ao fim em coro. A presença de Max Phelps como front man seguiu até o final da primeira parte do set list que contou com “Leprosy”, “Left to Die”, “Living Monstruosity”, “Lack Of Comprehension” até “Symbolic” que é quando realmente os fãs começam a chorar. A performance de Steve DiGiorgio nos deixou arrepiados, suas mãos ágeis e fiéis a carreira da banda davam um show a parte.

Steffen Kummerer (líder da banda Obscura) desperta a partir de “Symbolic” uma emoção ainda mais incontrolável, e segue com simpatia e energia seu repertório até “Overactive Imagination”. A interatividade da banda com o público superou expectativas, desafiaram até mesmo um fã a subir no palco e pegar a camiseta da turnê da banda, encerrando assim outra parte do espetáculo. Nesse momento toda a banda toda saiu do palco, como quem já está pronto para o bis, o que deixa alguns um tanto decepcionados ao aguardo de músicas do primeiro álbum “Scream Bloody Gore”, e outras clássicas. Então quando voltam, Max Phelps reergue sua B.C. Rich e com o clamor do público por “Zombie Ritual” o riff insano começa a rolar, e todos já o sabiam cantar de cor, num grande “Oh oh oh!”. Os comentários durante o show eram sobre mais músicas clássicas, como “Trapped In a Corner”, “1000 Eyes”, porém essas foram deixadas de lado e no lugar pudemos apreciar “Crystal Montain” e “Pull The Plug” finalizando o show com chave de ouro.

As ilustres figuras se juntaram na frente do palco, jogando palhetas, acenando, Steve DiGiorgio tirava muitas fotos do público, e tanto durante quanto depois do show agradeceu o tempo todo no microfone sempre ressaltando a importância da turnê em homenagem ao colega, grande compositor, Chuck Schuldiner. Ao abandonarem o palco a sensação de positividade era imensa na casa, todo o público estava extremamente emocionado com a apresentação inédita e insubstituível do Death To All.


[ << Ant ]    [ << Mais notícias ]    [ Próx >> ]
 

Mais notícias
Zé Ramalho Comemora 40 anos de Carreira em São Paulo
Nx Zero grava novo DVD ´Registro Norte´ em São Paulo
The Stylistics Embalam o Valentine´s Day em São Paulo
21o Festival da Cultural Inglesa no Memorial da América Latina
Boyce Avenue no Cine Joia
Sandy faz show em São Paulo com sua turnê Meu Canto
Ratos de Porão e Krisiun no Tropical Butantã
Steve Vai, um dos Deuses da Guitarra, Retorna ao Brasil
O papa da dance music Giorgio Moroder em São Paulo
10000 Maniacs em São Paulo

 
 
 
 
 
 Busca
 Siga o Musicão nas redes sociais
Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram Siga-nos no Tumblr Google Plus Youtube Pinterest
 Últimas Notícias
 Agenda de shows
Criação de Sites
Serviço
Arquivo de notícias
Equipe do Musicão
Release do site
Política de Privacidade
Contato

© 2006-2017 Musicão - Todos os direitos reservados - Proibida cópia de conteúdo parcial ou integral.