Site de música   
Coberturas de shows

Noite de Progressive Rock em São Paulo: Alan Parsons Project no HSBC

Compartilhe:


Publicada em 03, Apr, 2014 por Marcia Janini

Clique aqui e veja as fotos deste show.


Alan_parsons_2014.jpg
Na noite da última sexta-feira, 28 de março, o HSBC recebeu o show da banda Alan Parsons Project para um público estimado em cerca de 4 mil pessoas.

Com privilegiado esquema de iluminação, num verdadeiro espetáculo a parte, a banda sobe ao palco por volta das 22h15. As variações em tonalidade e cores e a disposição de spots e gambiarras diversificada a cada canção executada, auxiliou na ambientação de forma única, criativa e de extremo bom gosto.

Iniciando a apresentação "I Robot" em sua estrutura cíclica de rondó, apresenta glissandos cromáticos no teclado, denotando atmosfera futurista, apoiada pelas notas suspensas do sintetizador.

"Damned If I Do" traduz nos acordes minimal do teclado a sonoridade com tessitura pop, explorando andamento e cadência constantes. Nota para as inteligentes conversões da bateria e para o bem pontuado violão, em suaves acordes esparsos extraídos do universo country.

Um dos maiores sucessos da banda, "Don´t Answer Me" apresenta acentos de bolero no andamento e nas esparsas castanholas em sampler, apoiando a pulsação. Digna de menção a participação do coro, afinadíssimo no refrão. Majestoso, o sax tenor surge em solo na finalização.

Traduzindo elementos do hard rock 80´s "Breakdown/ The Raven" apresenta anadamento e cadência constantes do instrumental, permeado com suavidade pelo teclado. Harmoniosa, surge a diferenciada divisão silábica no fraseado vocal, antecedendo o refrão. Denota assim, a intrincada construção melódica, em modulações nada óbvias.

"I Wouldn´t Want To Be Like You" explora sonoridade pautada no R&B e no jazz fusion, com acentos disco no andamento e nos acordes solapados das cordas. Baixo em dub surge contrapontístico, traduzindo o interessante "doo wop". Belos riffs da guitarra em notas encadeadas de progressão ascendente ditam a tônica do refrão. Perfeito!

Trazendo na introdução a sonoridade céltica, ethereal, "The Ace of Swords" ascende para andamento frenético no ataque das guitarras e arpejos do teclado, num belíssimo diálogo instrumental que permeia toda a melodia, apoiando a firme condução da bateria. Grande clássico!

A balada "Nothing Left To Lose" surge em um dos momentos mais introspectivos e intimistas da apresentação. Lindamente executada, explora as canções pastoris na estrutura suave, na junção entre country, rock e madrigais clássicos europeus.

"Fragile" apresenta notas suspensas do teclado criando densa atmosfera para a estrutura de moderna valsa da canção aliada à cadência marcante do pop. A melodia em acordes de linhas simples traz a bela participação da guitarra. A bateria cadenciada determina tom extra de suavidade à canção.

Constaram também do bem selecionado set list os clássicos "Prime Time", "Sirius", "Eye In The Sky", "Silence and I", "The Turn of a Friendly Card (Part Two)", "Snake Eyes", "Old and Wise" e "Games People Play".


[ << Ant ]    [ << Mais notícias ]    [ Próx >> ]
 

Mais notícias
Zé Ramalho Comemora 40 anos de Carreira em São Paulo
Nx Zero grava novo DVD ´Registro Norte´ em São Paulo
The Stylistics Embalam o Valentine´s Day em São Paulo
21o Festival da Cultural Inglesa no Memorial da América Latina
Boyce Avenue no Cine Joia
Sandy faz show em São Paulo com sua turnê Meu Canto
Ratos de Porão e Krisiun no Tropical Butantã
Steve Vai, um dos Deuses da Guitarra, Retorna ao Brasil
O papa da dance music Giorgio Moroder em São Paulo
10000 Maniacs em São Paulo

 
 
 
 
 
 Busca
 Siga o Musicão nas redes sociais
Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram Siga-nos no Tumblr Google Plus Youtube Pinterest
 Últimas Notícias
 Agenda de shows
Criação de Sites
Serviço
Arquivo de notícias
Equipe do Musicão
Release do site
Política de Privacidade
Contato

© 2006-2017 Musicão - Todos os direitos reservados - Proibida cópia de conteúdo parcial ou integral.