Site de música   
Coberturas de shows

O Terno, Wander Wildner e Inocentes na Clash Club

Compartilhe:


Publicada em 21, Jan, 2014 por Claudinha Rebel

Clique aqui e veja as fotos deste show.


Inocentes.jpg
No último sábado, no Clash Club, o trio paulistano O Terno, composto por Tim Bernardes (voz e guitarra), Guilherme "Peixe" (baixo) e Victor Chaves (bateria), abriu a noite com seu rock sessentista. O público era pouco mas o trio contou com a empolgação dos fãs que ficaram grudados ao palco e cantavam animadamente todas as canções. No repertório, esteve presente a música “Papa Francisco perdoa Tom Zé”, composta em parceria com Tom Zé, para o seu EP Tribunal do Feicebuqui.

Na sequência e já com a casa um pouco mais cheia, sobe ao palco Wander Wildner (ex-Replicantes) que está em turnê com seu sétimo álbum solo – Mocochinchi Folksom, acompanhado de Arthur de Faria na gaita e teclado, Mauricio Chaise na guitarra, Gustavo Chaise no baixo e Pitchu Ferraz na bateria. A apresentação seguiu animadíssima com fãs cantando e dançando todas as canções do punk brega. No repertório, além de músicas do novo álbum, estiveram presentes os sucessos Bebendo Vinho, Um Lugar do Caralho (que levou o público ao êxtase), La Playa e Eu Não Consigo Ser Alegre o Tempo Inteiro.

E para fechar a noite, o clima que lembrava muito as festas interioranas, deu lugar ao bate cabeça! Sobe ao palco a banda punk Inocentes com Anselmo Monstro no baixo, Clemente Nascimento na voz e guitarra, Nonô na bateria e Ronaldo Passos na guitarra. A apresentação teve vários pontos altos, no repertório estiveram presentes as aclamadas Pátria Amada, Pânico em SP (com fãs se lançando do palco) e São Paulo - música da banda 365 -, cantadas em uníssono pelo público. A apresentação teve a participação de Wander Wildner, que cantou e empolgou o público com Surfista Calhorda. O show foi curto, pois as apresentações da noite iniciaram com atraso de mais de uma hora. A banda punk Inocentes terminou o show agradecendo a presença de todos e com a frase “Estamos sendo expulsos”, pois o Clash Club receberia outro evento na sequência. Além desta frase, teve outra que marcou a noite “aqui não é um lugar do caralho, porque a cerveja tá cara!”. No final do show o público ganhou palhetas, baquetas, e alguns fãs subiram ao palco para abraçar seus ídolos. Clemente, que não deixou que os seguranças expulsassem os fãs do palco, posou para fotos ao lado dos “invasores”.


[ << Ant ]    [ << Mais notícias ]    [ Próx >> ]
 

Mais notícias
Zé Ramalho Comemora 40 anos de Carreira em São Paulo
Nx Zero grava novo DVD ´Registro Norte´ em São Paulo
The Stylistics Embalam o Valentine´s Day em São Paulo
21o Festival da Cultural Inglesa no Memorial da América Latina
Boyce Avenue no Cine Joia
Sandy faz show em São Paulo com sua turnê Meu Canto
Ratos de Porão e Krisiun no Tropical Butantã
Steve Vai, um dos Deuses da Guitarra, Retorna ao Brasil
O papa da dance music Giorgio Moroder em São Paulo
10000 Maniacs em São Paulo

 
 
 
 
 
 Busca
 Siga o Musicão nas redes sociais
Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram Siga-nos no Tumblr Google Plus Youtube Pinterest
 Últimas Notícias
 Agenda de shows
Criação de Sites
Serviço
Arquivo de notícias
Equipe do Musicão
Release do site
Política de Privacidade
Contato

© 2006-2017 Musicão - Todos os direitos reservados - Proibida cópia de conteúdo parcial ou integral.