Site de música   
Coberturas de shows

Hibridismos No Rock Nacional Em Dose Dupla

Compartilhe:


Publicada em 23, Apr, 2013 por Marcia Janini

Clique aqui e veja as fotos deste show.


Comemorando o retorno operacional de uma das rádios mais tradicionais de São Paulo, o Espaço das Américas recebeu no último dia 19 de abril duas das bandas ícones da fusão entre rock e sonoridades brasileiras: Raimundos e O Rappa.

Subindo ao palco por volta das 22h30, o Raimundos contagiou os presentes com sua costumeira mistura entre hard rock, heavy metal, hardcore, ska, punk, reggae, baião, forró “pé de serra” e sonoridades tipicamente nacionais às letras satíricas e bem humoradas.

Mestres da descontração, o “malandro” triângulo nordestino brilhou soberanamente, apoiado pela distorção da guitarra metaleira. Estruturas de rondó aliam-se com precisão à bateria cadenciada e contundente do rock.

Neste caldeirão de estilos, o ska, o punk e o reggae determinam vertiginosas variações dinâmicas em cada canção executada, com graça e estilo, fator que os consagrou como uma das mais prolíficas e criativas bandas da história do rock nacional 90`s.

Fraseado vocal rápido, típico do universo black e street do hip hop em meio a riffs rascantes e intrincados solos de guitarra, passeando por um amplo leque de vertentes, indo do surf rock ao trash, traz no seu bojo os ingredientes de um caldeirão bem brasileiro, brejeiro, ousado e irreverente!

A banda executou grandes clássicos de sua carreira como “Esporrei na Manivela”, “Rapante”, “Mulher de Fases”, “Palhas do Coqueiro”, “I Saw You Saying”, “A Mais Pedida”, “Reggae do Maneiro” e “Puteiro em João Pessoa”. Nota para as execuções de “Zóio de Lula” com a participação de Alexandre, filho de Chorão em póstuma homenagem ao intérprete recentemente falecido e “Eu Quero Ver o Oco”, com Egypcio e integrantes do Tihuana.

O Rappa domina a cena à partir da 1h15 trazendo uma introdução jazzística em meio aos samplers e “viradas” inteligentes do DJ na cadência do hip hop. O ragga vertiginoso surge esparsamente, ambientando a sequência musical.

Trazendo o peso do hardcore mesclado ao fraseado vocal ligeiro do hip hop, “Lado A, Lado B” inicia a apresentação já com ponto alto de identificação do público.

Na sequência, canções que abordam as críticas sociais na junção entre o revoltado e pesado hardcore, aliando-se à vertentes insusitadas como o reggae e ska, passando por sonoridades oriundas do samba de partido alto, do samba-rock, vocalizes extraídos de vertentes africanas tradicionais e da soul music, latinidades com elementos extraídos do zouk traduzem-se em melodias criativas, intrincadas e de excepcional paisagem sonora, em mais uma boa apresentação da banda.


[ << Ant ]    [ << Mais notícias ]    [ Próx >> ]
 

Mais notícias
Skank Turnê Os Três Primeiros - Ao Vivo
Delain + Vuur no Tropical Butantã
Los Hermanos surpreende em apresentação para 45 mil pessoas em São Paulo
Mark Farner no Teatro Gamaro
Temple of Shadows in Concert em São Paulo
Clube da Esquina: Milton Nascimento em São Paulo
O Death Metal de Beyond Creation e Exhumed Chega à São Paulo
Gilberto Gil e Paralamas do Sucesso - Projeto Versão Brasileira
Lolla Parties: Snow Patrol + Lany
Freshen Up: Paul McCartney em São Paulo

 
 
 
 
 
 Busca
 Siga o Musicão nas redes sociais
Facebook Siga-nos no Twitter Siga-nos no Instagram Siga-nos no Tumblr Google Plus Youtube Pinterest
 Últimas Notícias
 Agenda de shows
Criação de Sites
Serviço
Arquivo de notícias
Equipe do Musicão
Release do site
Política de Privacidade
Contato

© 2006-2019 Musicão - Todos os direitos reservados - Proibida cópia de conteúdo parcial ou integral.